Google Translator

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Voto nulo: parte do processo democrático

Todos os anos vemos campanhas a favor do voto. Quem já não viu algum ministro do STE (Superior Tribunal Eleitoral) vir à TV para informar ao público a importância de se votar e de não se anular o voto?

Há um erro primordial em ser contra o voto nulo: o voto nulo é uma das opções possíveis; faz parte do processo democrático. Então se não podemos dirigir o eleitor a não votar nesse ou naquele candidato, não podemos também dizer que ele não pode anular o voto. Antes disso, devemos informar corretamente a todos e dar total liberdade de escolha ao eleitor.

Antes de falar sobre qualquer tipo de voto é necessário falar sobre o que é o voto. VOTO = APROVAÇÃO. Quem vota em alguém, está aprovando esse alguém, está passando um recado. Está gerando um dado. Portanto, todos os tipos de votos são importantes e passam mensagens. Criam dados. Fica fácil entender que o VOTO NULO = REJEIÇÃO.


Vamos analisar dois casos:

Caso 1

Em uma eleição, 40% dos eleitores votam no candidato A; 35% votam no candidato B, 19% votam no candidato C; 4% votam nulo e 2% votam em branco.
Neste caso o candidato A venceu a eleição. Todos os analistas falarão das possibilidades do novo governo e não se fala mais nisso.

Caso 2

Em uma eleição, 32% dos eleitores votam no candidato A; 27% votam no candidato B, 23% votam no candidato C; 16% votam nulo e 2% votam em branco.
Neste caso o candidato A venceu a eleição. Os analistas falarão sobre sobre as possibilidades de seu governo e falarão também do grande número de votos nulos. Falarão dos motivos que levaram a essa acontecimento e essa informação será comentada ainda por muito tempo.


Como podemos notar, ao aumentarmos o número de votos nulos, o novo dado gera discussão, abre possibilidades imensas para o processo democrático.

O voto nulo está se tornando muito mais importante, porque estamos num momento muito ruim de nossa história política. Com o baixíssimo nível de políticos, com tantos casos de corrupção, impunidade e problemas sociais, fica fácil entender porque o voto nulo tem ganhado tanta força entre as pessoas mais esclarecidas.

Vamos esquecer a velha história furada de anular 51% dos votos para anular todo o processo e, blá, blá, blá. Isso é um tolice total. Não existe.

Também fico abismado ao ver que um ministro do STE venha a público falar contra uma das opções possíveis do processo democrático do nosso país. Quando nos tornarmos cidadãos conscientes, o voto nulo deixará de ser assustador. Teremos melhores candidatos. E um país muito mais justo.

Então se você tem um candidato no qual acredita e concorda, faça o seguinte: ao estar na urna, pense em sua família – sua esposa, filhos e demais parentes - e entenda que está colocando o seu futuro na mão dessa pessoa em quem está querendo votar. E vote.

Mas, se você não confia ou não concorda com qualquer dos candidatos, vote nulo. É seu direito de cidadão.

Como anular o voto na urna eletrônica: digite 00 (zero duas vezes) e aperte confirma. Dessa forma, estará anulando seu voto e dizendo que a obrigatoriedade do voto não o fará escolher o político “menos pior”.


Você pode se interessar por essas matérias:


Como identificar um político corrupto

Quer saber como votar corretamente? Clique aqui

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe

Share |
 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys
Zeitgeist I - The movie Zeitgeist II - Addendum Zeitgeist III - Moving Forward Creative Commons